quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Agora...


O caos instala-se na minha mente. As palavras saem assim; desconexas... Num momento sinto-me como se estivesse em pleno controlo do mundo e a harmonia estende-se a meus pés como se de um tapete de flores se tratasse.
Momentos... Se os pudesse recortar um a um e de alguma forma os conseguisse colar. Poderia escolher os momentos e agrupá-los de forma a enganar-me. Tive muitos momentos bons. Admito saudosamente que sim. Se me fosse permitido sentir-me como me senti neles neste preciso momento.
Agora... Vivo em viagens pela minha mente entre o que antes foi belo e que, quase por magia, perdeu todo o seu esplendor. É uma viagem alucinante e vertiginosa entre o ceu e o inferno. Nunca sei a hora da partida nem da chegada. Estou sempre alerta.
Quando embarco pergunto-me pelo bilhete e respondo-me que não preciso de bilhete. Tenho um vitalício.

3 comentários:

Sónia disse...

Olá Nuno.
Ja sabias que foste o primeiro amor da minha vida. Desde o tempo da esola... Apesar de casada e feliz, chorei quando soube que tinhas ido viver para Lisboa. Voltei a chorar agora que te reencontrei e vi-te tão destroçado. Sabes que podes contar comigo e com o Carlos para o que quiseres. Ele sempre te curtiu e sofre tambem por te ver assim...
Beijo grande

P.s- Ficas muito giro de cabelo rapado.

Ricardo disse...

Quando volta o comandante da seita, aquele que não deixava ninguem ficar em casa?

Blizard Beast disse...

Obrigado pelas palavras gentis, Sónia. Beijoca e abraço para o Carlos e para os vossos putos reguilas.
Ricky. Não sei quando volta. perdeu-se pelo caminho.