segunda-feira, 29 de junho de 2009



Hoje acordei com uma vontade imensa de conquistar o mundo. Correr pelos cantos deste planeta quase redondo e proclamar posse de todos os territórios e oceanos. Olhar para o mar e dizer que me pertence. Ver locais lindos como a Ribeira e dizer "isto é meu." Assim de repente aparece a vontade de viver tudo depressa e celebrar quando não existe razões para o fazer.
Quero viajar pelo ar e dizer que tudo o que se estende perante os meus olhos me pertence. O que faria com as pessoas? Deixaria toda a gente habitar tranquilamente nas minhas propriedades como sempre o fizeram. Dominaria o mundo mas nunca as pessoas. Só a vontade de ter o mundo todo para mim... Mas aqui deparo-me com um grave problema: Teria o mundo só para mim e ninguém para o partilhar. Maior sensação de solidão não existirá certamente. Não sei se trocaria. Neste momento não tenho nada nem ninguém para compartilhar desse nada. Se alguém quiser um pouco de nada é só dizer. Não me importo de partilhar o vazio. Mas aquele vazio silencioso onde nada se ouve nem diz. Aquele vazio que pode ser inundado de palavras num ápice. Palavras que neste momento estão reclusas dentro de alguma prisão dentro de mim. Por um momento gostaria de ser o dono do mundo para poder dizer tudo o que penso e não ser censurado por isso, já que ao dono do mundo tudo será permitido.

3 comentários:

Mª Teresa Antunes disse...

Tu não és dodno do mundo. Mas és filho dele. :)

Podes partilhar comigo esse vazio? torna-se alguma coisa quando é partilhado!

Marina Almeida disse...

Tu tens o teu lugar no mundo. Todos somos alguem, não só matéria mas seres humanos. Se temos a possibilidade de sorrir, sentir, sonhar, pensar somos donos da nossa própra alma e é por essa que devemos de lutar para atingir a felicidade...basta isso, o resto conquistasse depois de tu t conquisteres a ti próprio.

SentidoDaVida disse...

Esse Mundo de que falas... Esse vazio...Já o partilhas comigo. Sem censura.
You're the King of the world!