segunda-feira, 22 de junho de 2009


Sozinho... Permaneço sozinho, no meio deste emaranhado de mentiras e confusões humanas, aqui estou eu.

Fugazes visualizações de realidades utópicas em que o mundo perfeito está aí ao virar da esquina... Já houve quem tentasse tornar o mundo perfeito, pelo menos, na sua visão narcisista. Foi considerado um genocida...

Eu tento melhorar o meu mundo e só deparo com valores humanos degradados. Tento... tento e tento... Não me podem acusar de não tentar, mas simplesmente não consigo enquadrar-me neste quadro perfeito que é viver.

O homem é a pior criatura que habita este planeta, com a sua vontade de dominio total e absoluto. Se consideraram Hitler um genocida, porque não consideram também os presidentes das multinacionais que despedem milhares todos os dias?

Penso que talvez seja íngenuo, ou talvez apenas sensível em demasia. Sinto todos os golpes como facadas. Deixei de acreditar nas pessoas. estou demasiado frágil para acreditar em que quer que seja.

Quero estar só com a minha dor de ser humano, com esta forma ignobil... Esta dor de querer acreditar e simplesmente não conseguir.

Dizem que existe um ente superior. Acredito que não acredito. Disse em tempos que acreditava no Demo; mais uma invenção de mentes superiores que não hesitaram em subjugar os mais fracos.

Não existe nada. Nada faz sentido

E assim permaneço... sozinho... Aqui estou eu!

2 comentários:

Mª Teresa Antunes disse...

Eu adorava ser presidente d euma multinacional! :P

Escreves muito bem ;) parabéns!

Marina Almeida disse...

Estams todos sozinhos, por conta própria e a beleza é algo que se encontra no interior da pessoa. Escreves muito bem e nas tuas palavras encontro algo de belo portanto já não és feio em todos os aspectos!