terça-feira, 30 de junho de 2009


Será que existe uma censura nos sonhos? Existirá alguém que visualiza o que eu sonho e o apaga? Tenho tido uns sonhos deveras agradaveis. Já não sou atormentado por todo o mal que me rodeou e rodeia de umas noites para cá. Não tenho aqueles sonhos super eróticos, mas estes são, ainda assim, extasiantes. Sonho com pequenas coisas que poderão ser banais, que quase não se dá valor, mas que me fazem feliz. Estou numa fase em que a mais pequena coisa, o mais pequeno gesto, a mais singela palavra me deixam felicíssimo. Anteriormente tinha medo, porque a seguir a alegrias injustificadas vinha um mergulho directo à mais profunda melancolia. Mas este sentimento tem perdurado. E eu gosto dele. Tem estado ausente aquela dor de acordar sozinho e mesmo quando a outra dor, sim porque eu tenho vários tipos de dor, apresenta-se com um beijo suave na cara eu até a beijo nos lábios! Sei que caminha a meu lado sempre e envolve-me com abraços ternurentos como eu antes envolvi alguém e eu aceito e retribuo. Consigo travar dialogos intelectuais com essa dor. Pergunto-lhe que música quer ouvir, qual o livro que quer ler e consigo sempre convence-la a ouvir e a ler o que eu quero. Já não a culpo de nada. Simplesmente está ali, faz-me companhia e temos noites de amor tórridas. Pode não ser exactamente o que desejo mas sei que existe pelo menos algo\alguém que me ama e não me deixa. Convivo com ela como numa relação normal. Aceito o seu amor incondícional... Deve ser muito bom ter isto de uma pessoa e não com uma personificação. E quando já estou cansado vou dormir, ela fica a meu lado até eu entrar no mundo dos sonhos. Depois deve ceder o seu lugar àquela pessoa que me retira os sonhos maus. Deve ser engraçado de se ver isso. Será que liga o meu cerebro a um ecrâ daqueles plasma hd e senta-se numa poltrona com umas cervejinhas fresquinhas e um maço de tabaco? Depois começam a aparecer os sonhos maus e carrega no botão delete por entre 2 goles de cerveja?

2 comentários:

Marina Almeida disse...

Adorei...dar valor as pequenas coisas é valorizar a vida...olhar para ela de modo mais belo...tornarmo-nos pessoas com um olhar mais analitico mais profundo, sentir melhor as emoções, sensações...até o feio se torna belo, como uma obra de arte, uma paisagem horrorizada pelo movimento, agitação e mesmo assim se torna belo por aquele efeito natural de revolta.
O feio o errado se torna tão belo por fazer de nós humanos, por dar agitação a nossa vida e por acabar-mos por valorizar mais os momentos, snao a vida era uma seca se fosse um mar de rosas!Não era viver!

Mª Teresa Antunes disse...

Deixa-me te dizer duas coisas:

que aquele gatinho é mesmo parecido com a minha gata a lili!

devias ter mais sonhos eróticos! Viva o sexo!