terça-feira, 16 de junho de 2009

Hoje não te vi...
Estava tão habituado a ver-te e a ver a minha alma sorrir assim que entravas pela porta.
Esquecia todos os meus acordares auto-destrutivos e a vontade de desaparecer.
Acho que ainda suportava acordar todos os dias porque te via...
Não sei o que me fizeste, mas foi sem duvida algo bom. Não sei o que mais posso pedir de ti... Já me deste tanto...
Ordeno o caos e tento a reconstrução das ruínas em que me encontrava e a ti devo muito por todo o apoio... Quando me sentia a cair novamente neste abismo criado por mim, os teus olhos lançaram-me sempre uma corda para me salvar.
Nem eram necessárias palavras, bastava saber que lá estavas e que podia olhar para ti e acreditar que ainda vale a pena lutar por mais perdida que possa parecer a batalha...
Não sei se sou capaz de te agradecer convenientemente, mas gostava de tentar e de, talvez, confessar o que tenho dentro de mim, mas que tenho medo de te fazer mal...

1 comentário:

Mª Teresa Antunes disse...

Agradece cuidando!

"Quando a gente ama é claro que a gente cuida!