quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Procuro por entre as nuvens que me envolvem carregadas com as minhas lágrimas por mim. Perdi-me do meu eu algures neste labirinto que se tornou a existência. Olho para o passado com esperança de me ver. Apenas vislumbro vultos que me são familiares mas ao mesmo tempo não os reconheço. Será que sou eu que estou ali envolto pelas sombras? Não. Não estou entre aqueles seres sombrios. Apesar de sombrios eu sei que sou ainda mais negro que eles.Tento virar as costas ao passado mas há uma voz que insiste em chamar-me.Não acredito em fantasmas, mas esta voz pertence a quem não me pertence. Não a consigo ignorar por mais que fuja. Chamam-me tão alto que julgo ensurdecer. Não quero mais vozes do passado nos meus ouvidos! Vou continuar a sofrer até que a voz se cale. Ao mesmo tempo espero que no momento em que a voz se dissipar consiga encontrar-me.Já sinto a minha falta... O que será feito daquela alma sorridente que encantava as pessoas? Espero que não esteja mesmo perdida no passado pois não quero lá voltar mais. Olho para o futuro ainda cabisbaixo e tenho medo de me encontrar, pois não sei se ao encontrar-me irei gostar do que vou ver...

1 comentário:

Alexandra disse...

Só vais ver luz.. olha para ti nos olhos e não temas o passado. Orgulha-te de seres um sobrevivente!
Quanto mais duro e difícil este passado for, mais iluminados somos no futuro.
Adoro-te, gomo da minha tangerina.