segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

No sangue corre esta incontrolável vontade de amar tudo o que existe.
As ondas de paixão obedecem apenas à minha voz. São ondas devastadoras de êxtase que envolvem expelem tudo à sua pasagem.
Poderei eu amar uma árvore como se deuma pessoa se tratasse? Talvez o consiga e com fervor redobrado. Ou a um rio... Quiçá mesmo uma gota de orvalho.
Pequenos grandes encantos que me seduzem e habitam no esquecimento dos demais.
Estranha esta capacidade extrema de amar!!!!
Riqueza escondida, ou bem à vista dentro de mim à espera de ser reclamada.
Não existe mapa para chegar a este tesouro. As indicações estão explícitas no meu olhar.
Apaixono-me por tudo o que existe, incluindo pessoas que nunca deram provas de existência.
Nas minhas entranhas, há uma passagem nada secreta para o mundo das ilusões que podem ser tornadas reais.
A tristeza está na guarida avaliando quem se aproxima.

Deixar-te-á ela entrar???