terça-feira, 29 de junho de 2010

O Homem constrói sempre novas estradas para o conduzir a novos locais. Nunca terá a capacidade de construir um caminho, por muito rudimentar que seja, capaz de o conduzir a si próprio.

Tudo está bem sinalizado. Todas direções de destinos físicos. Apenas aglomerados de construções.
Não existe uma placa a indicar o centro do Homem. Não existem coordenadas exactas para lá chegar que possam ser colocadas num gps.
Esse centro, esse local jamais será descoberto.

3 comentários:

Sofia disse...

Texto introspectivo. Realmente nada aponta para onde deve realmente apontar.

Aline [ou Réu] disse...

ótima reflexão

Dia da Poesia disse...

apesar de sentir o mesmo… às vezes questiono se esse caminho só não está diante dos olhos por teimosia do espectador