quarta-feira, 23 de junho de 2010

Textos não da minha autoria,mas de alguém com muito jeito só que muito envergonhada..

Com olhos fechados e braços abertos,
Sorrisos eloquentes sobre lábios calados,
E em duplo oferecimento os seios descobertos,
E os olhos abertos e os braços fechados.
Vem a mim com a audácia que não duvida nem nega,
Vestidos de ilusões e despidos de temor,
Exibimos gestos de definitiva entrega.
Quantas vezes os nossos corpos perceberam
A magia e o calor do nosso contacto,
E quanto na alma receberam a entrega,
Sem nunca se fazer um pacto.
O impulso, generoso e decidido,
Foi um estado de paixão e não só um acto,
Que deverá prolongar-se em permanência em cada beijo e em cada confidência.


.................................................................................



Tenho de escalar ao topo de uma montanha para chegar até ti.
É uma subida tão brutal até chegar até aquele cume,
Que tão poucos já vislumbraram.
Não sabia o que existe lá em cima,
Mas a única coisa que esperava era encontrar a ti.
Fico ali, à espera do êxtase que pensava que iria sentir,
Mas ele nunca chega.
Estou demasiado longe para escutar os aplausos e agradecer.
E já não tenho mais por onde subir.
Estou sozinha,
E a sensação de solidão é esmagadora.
O ar é tão rarefeito que mal consigo respirar.
Consegui chegar ao cume
E o mundo inteiro diz que sou uma heroína,
Mas parecia mais interessante de la de baixo quando olhava
Com nada mais do que a esperança e os sonhos de sucesso.
A única coisa que via era o cume de uma montanha.
Não havia ninguém que me falasse de ti,
Mas as coisas são diferentes quando se chega ao cume,
Fico estafada, surda, cega e demasiado cansada para desfrutar da vitória.


Cabelos ao vento

2 comentários:

Sofia disse...

Hummm, muito bons textos. Realmente este blog precisava de um toque feminino. É para continuar esta parceria?

Dia da Poesia disse...

concordo com a Sofia .

Bonito… fiquei com a sensação que até pode ser fácil brincar com as palavras e ao mesmo tempo ser transparente e profundo.