terça-feira, 13 de outubro de 2009

Dilema luteriano que tenho perante mim.
Perfeita ocasião para a manifestação dos multiplos eus que multiplicam-se a velocidades estonteantes.
Cada um tem os seus argumentos e todos fazem perfeito sentido.
Está iniciada a audiência sumária onde oiço todos com uma atenção nunca antes avistada em mim. Como se a minha capacidade de alheamento tivesse sido mantida refém por forças alienígenas aguardando a ordem de invadir a Terra.
Mas é mesmo o futuro do mundo que está em julgamento. O meu mundo, não o vosso.
Em nada alterará as vossas rotinas e vidas seja qual for a sentença que eu decretar.
Para mim é que será diferente ou igual. Só de mim depende.
Quando eu bater com o martelo da independência, a sentença será atribuida sómente a mim. Boa ou má caberá a mim ver as repercursões futuras.
Lucidez invade-me, apesar de eu odiar as primeiras quatro letras da palavra.
Bem que podiam ser substituidas por letras de outro nome que tenha sido justo e correcto comigo. Qual? Boa pergunta. Por qualquer nome dos meus amigos. Ou por outro nome que eu respeite e adore mesmo sendo começado pela mesma letra.
Mas lá estou eu a divagar. Não posso! O juízo final aguarda-me! E eu sou ele.

2 comentários:

Mephisto disse...

Vai escrever oh caralho que te foda.

Mª Teresa Antunes disse...

Domus Invistae!