segunda-feira, 5 de abril de 2010

Sabes bem o meu nome e que estou sempre a teu lado.
Sou o teu eu mais irado e que pensavas já finado.
Conheço todas as palavras escritas no livro que és tu, algumas foram escritas por mim.
Talvez tenha-te mostrado significados ilustrados ou mesmo desajustados de provérbios inacabados.

Talvez... Nunca nada é certo. Jamais digas que eu estou correcto ou errado, apenas diz que estarei sempre a teu lado.

Interpretações, ilações, tudo meras ilusões.
Factos? Meros sonhos nas noites febris.

O meu nome é um facto- dizes tu.
Sim- mas eu não sou uma palavra, sou várias ou mesmo nenhuma.
Uma abstracção latente no vazio dormente.
Um pictograma em forma de anagrama e, para outros, de anatema.
Vulto vestido de sombras luzidias.
Tudo e nada, uma besta alada...
Indecifrável e desfigurado, mas sempre a teu lado. Talvez, esse, o unico facto...

2 comentários:

L!mOnadah ♥Slemom X♥ disse...

Perfeito!

Dia da Poesia disse...

como sempre, as certas nos momentos certos...