terça-feira, 1 de setembro de 2009


Gostaria de estar onde se contra a minha imaginação.
Estou sempre a viajar mas o meu corpo encontra-se sempre no mesmo lugar.
Já estive na lua centenas de vezes e ali permaneci em silêncio o planeta onde outros dizem que pertenço.
Já estive nos lugares mais belos desse mesmo palneta.
gritei no topo dos Himalaias o teu nome e vi os ventos embalarem o grito.
Recebi nu a benção das monções que me inundaram de caricías e deliciaram-se equanto beijavam o meu corpo.
Subitamente já estava nos polos terrestres onde as minhas palavras quentes derreteram glaciares.
Comandei navios onde monstros milenares comprimentaram-me com reverência à minha passagem.
Dei várias voltas ao mundo e descobri novos continentes. Eles encontram-se camuflados e só eu lá consigo entrar.
Continentes onde a avareza e ganancia humana em algum dia lá entrará.
Penso em ti e num ápice estou ao teu lado.
Vou para templos onde se idolatrizam deuses vencidos e tomo os seus lugares.
Sento-me no trono de reis outrora poderosos e comando exércitos de cavaleiros que vasculham o mundo apenas para te encontrar.
Às vezes sou eu o sol que aquece os teus dias frios.
Estou em África e os reis da selva ronronam a meu lado lascivos pelas minhas carícias.
Perco-me na Amazónia e converso com árvores enquanto as piranhas beijam-me os pés.
Quando está dia vou para sitios onde está noite.
Vejo monumentos em minha homenagem em todos os paises que atravesso.
Alguns tem esta inscrição gravada :
"Eis o eterno sonhador, as suas palavras são as suas asas de condor."
As viagens terminam abruptamente e regresso à minha forma fisica, sómente para novos destinos arquitectar.
Sou o nómada mental
Estou sempre onde quero estar.
Piloto os meus sonhos mas o lugar do passageiro encontra-se desocupado.
Gostava de mostrar-te o universo sobre o meu ponto de vista.

3 comentários:

Mephisto disse...

Andas a fumar umas coisas um pouco estranhas.

SentidoDaVida disse...

E quando é que a tua nave passa por aqui? quanta ausência. Mas acho que é um bom sinal :)
Adorei este texto. beijos

Mª Teresa Antunes disse...

Mostra-nos o teu Universo com as mais belas junções de palavras. Mostras-nos Nuno!