domingo, 6 de setembro de 2009

Um dia tudo será diferente
O reflexo do espelho torna-se visível
Voltou o deserdado ausente
Para enfrentar armado o imprevisivel

Os bolsos carregados de poemas
Brande-os com inexperiente mestria
perante inimigos de vários temas
Outrora reponsáveis pela razia

Armas sangrentas sem o serem
Abrem feridas em desejos tiranos
E perante os que não os percebem
Respondem-lhe com risos insanos

Há tanto que uma palavra pode conquistar
Impossível, palavra retirada do cancioneiro
Todos os verbos que rimam com amar
Deste poeta são o melhor conselheiro.

1 comentário:

Mª Teresa Antunes disse...

Ser poeta é ser maior do que os homens... Maior que ti próprio!