domingo, 16 de agosto de 2009


Hoje acordei e senti-me um milionário...

Não, não ganhei o euromilhões nem houve um deposito misterioso na minha conta no banco. Não é necessário ter dinheiro para me sentir milionário.

Sou rico em ideias. Tenho milhões delas... tenho pensamentos, tenho emoções e sentimentos.

Não existe banco para os depositar. Não os posso guardar debaixo do colchão. Não servem para comprar casas nem grandes carros nem para pagar copos aos amigos, não servem como moeda para grandes transacções financeiras.

Não tem valor aparente neste mundo totalmente centrado num capitalismo supérfluo. Mas para mim tem é como se tivessem mais zeros que não sei quantos biliões de euros ou dolares.

Não servem para alimentar a familia, mas sim para alimentar a alma, como alguém uma vez disse.

Sou um milionário excêntrico e avarento. Não corrompo ninguém nem me deixo corromper.

Onde está depositada a minha fortuna? Bem dentro de mim. Ocasionalmente lá deixo uma nota algures em conversas e em desabafos ou mesmo aqui neste emaranhado de palavras sem sentido.

Sou o gestor da minha própria fortuna e invisto onde me dá na cabeça.Investimentos arriscados com garantias nenhumas de retornos ou de lucros. Tenho muito para esbanjar...

O proximo investimento será a construção da felicidade, vai ser bastante dispendioso, mas é para isso que serve. Não vou levar comigo esta riqueza para a cova, tenho que a gastar de alguma forma.

2 comentários:

Marina Almeida disse...

Muito bem! Adorei!

Mª Teresa Antunes disse...

Opah eu tenho ideias e cosias giras mas também queria dinheiro. Quero um porshe poh!