quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Obsessão versus Paixão


Gosto de te observar

Sou reservado voyeur

Aos rituais abraçar

Imagens sem rumor


Vejo-te na esquina

Da rua da liberdade

Felicidade que contamina

Olhar para ti com vaidade.


Delicio-me com a visão

Do teu corpo descontraido

Com o cigarro na mão

Aspirando o aroma perdido


Onde tu vais eu já lá estou

Escondido no teu passado

Houve algo que me mudou

Talvez não ter sido amado


Nunca me irás reconhecer

Envolto nas sombras vou

Seguir-te até ao amanhecer

Com a minha alma que sempre te amou


Mesmo quando adormeceres

Pelas frinchas da janela espreitarei

A mais bela das mulheres

Pela qual sempre velarei


E quando acordares

Ao teu lado vou estar

Beijando os teus olhares

Na distância de um esgar


Não, não é obsessão

Talvez não apenas desejo

É certamente paixão

Em tudo onde te vejo.







2 comentários:

Mª Teresa Antunes disse...

tens que fazer um poema sobrea saga deuma gaja queé peluda e que o marido não faz amor com ela porque ela tem muitos pelos encravados que picam. aah fica aqui a ideia!

Mª Teresa Antunes disse...

tens que fazer um poema sobrea saga deuma gaja queé peluda e que o marido não faz amor com ela porque ela tem muitos pelos encravados que picam. aah fica aqui a ideia!