quarta-feira, 19 de agosto de 2009


São 7 da manhã. Estou sentado no jardim absorvendo o silêncio. Os vizinhos já estão habituados a ver-me a horas impróprias a fazer sempre coisas estranhas acabaram por ganhar imunidade à minha presença, enquanto começam a sua rotina de dirigirem-se para o trabalho. Ao meu lado está o meu cão, espectador assíduo das minhas insónias. Está a dormir ao meu lado, mas ao meu mais pequeno movimento levanta-se imediatamente para ver se preciso de alguma coisa...
Acendo um cigarro e fico hipnotizado com o fumo que sai em espirais enquanto que a chama consome-o muito lentamente. Por um momento sinto-me como se fosse esse cigarro, e que a chama é a representação da minha vida. A cinza e o fumo que dele jorram são a representação dos meus sonhos que se esvanecem até ao cigarro chegar ao fim... Serei o responsável por os meus sonhos se transformarem em cinza?
O que vale é que tenho um maço cheio. Tenho muitos sonhos ainda para fumar ou simplesmente transforma-los em cinza...

5 comentários:

Sofia disse...

Tão novinho aqui.Coisa fofa. às vezes pergunto-me se não sabes sorrir caralho. em todas as fotos que vi tuas tas sempre sizudo. Mas esta foto acho que diz tudo sobre ti. Estas distante... Beijoca. Tou cheia de saudades tuas, besta quadrada.

Mª Teresa Antunes disse...

Eu tenho fotos do Nuno com ele a sorrir... eheheh e não as envio a ninguém :P

Marina Almeida disse...

Adorei o post...escrito com muito sentimento. Achei interessante as comparações á forma de viver...beijo...

DarkViolet disse...

É interessante observar esse deambular dos desassosegados na madrugada. Também costumo o fazer, menos o cigarro :)

Carla disse...

assim são os sonhos...partes ocultas de nós que por vezs ganham vida no espaço infinito das madrugadas sozinhas.