domingo, 5 de julho de 2009


Mas talvez eu estivesse errado. Talvez eu estivesse certo. Restará para sempre a incerteza do que fui e do que poderia ter sido. Presente apenas a certeza do que sou e do que sinto. Sinto e existo com demasiada intensidade... Ponham-me um travão ou qualquer coisa para eu ficar um pouco mais moderado e menos precipitado. Retirem-me as palavras e a capacidade de raciocinar. Roubem-me as ideias megalomanas e destruam todos os textos algumas vezes escritos pois foi com eles que me encontrei e simultaneamente me perdi... para sempre.
As palavras são lançadas para o ar para quem as quiser alcançar. Posso escrever palavras para toda agente que me é querida e para todos os menos queridos. Por vezes a capacidade de escrever torna-se até insuportável.Gostava de voltar a escrever aquelas palavras especiais embora o destinatário já não exista ou simplesmente não as queira receber.
Não existem palavras dentro da minha mente, só sentimentos.

1 comentário:

Mª Teresa Antunes disse...

Sentimentos & Palavras! Uma belíssima combinação deste blog ;)