domingo, 26 de julho de 2009

Recentemente disseram-me que a minha maior virtude e, ao mesmo tempo, o meu maior defeito é a minha bondade infinita. É o de dar sempre tudo e nunca esperar receber nada em troca.
Excesso de altruismo era algo que nunca pensei ouvir.
Nunca são premiados todos os que lutam à sua maneira para tornar o mundo melhor.
Talvez tenha chegado a hora de me tornar egoísta. Não dar nada e querer receber tudo.
É a hora de me tornar um ditador insensível e dominar tudo e todos.
Varrer para debaixo do tapete todas as emoções e transformar-me no super-homem de Nietchze.
Algo impensável para mim, mas porventura a unica maneira de triunfar.

2 comentários:

SentidoDaVida disse...

Os extremos tocam-se. Tenta ficar no meio. Umas vezes bom, outras egoísta. Tudo na justa medida.

Mª Teresa Antunes disse...

Eu concordo com o que te disseram. Os "outros ao pé de ti não são nada. Coração de ouro :)