quinta-feira, 23 de julho de 2009

Rebenta a fúria anteriormente comprimida por entre paredes de melancolia. Expande-se como um tsunami a observar a costa com um riso sarcástico. Furia descendente da frustração, prima em primeiro grau da desilusão.
Furia tranquila e pacifica. Vou cortar os pulsos da solidão. Vê-la esvair-se em sangue... E vou sorrir com malícia... Gargalhadas descomunais e ancestrais formam-se no meu rosto contorcido pela loucura.
Cuidado com a besta dentro de mim! Não faço mal a ninguém, só a mim próprio...

3 comentários:

Mephisto disse...

Cão que ladra não morde!!

Marina Almeida disse...

ei lá... post muito dark.lol....és uma pessoa sensivel, não acredito que faças mal a alguem mas tambem não faças mal a ti próprio! Na vida já chega aqueles que nos querem mal....

SentidoDaVida disse...

Solta a alma nas letras e deixa que as palavras te levem onde só tu podes ir. Ao fundo de ti mesmo. Solta-te e voa, mas lembra-te de abrir bem as asas. Não caias no vazio.
Muitos beijos