segunda-feira, 6 de julho de 2009

Para todos os que me fazem sorrir. Os acusados sabem bem quem são.


De vez em quando aparece uma luz a iluminar os meus passos, uma luz mais forte que a da lua. Uma luz que me guia e me afasta dos abismos sucessivos que se escondem camuflados ao longo do caminho. Guia os meus pés cegos e errantes até terra firme. Ilumina-me enquanto enterro a caneta no meu caderno para que as palavras sejam mais claras e não deixam a escuridão eclipsa-las por completo. Obrigado a todos os que acendem as velas e as colocam no castiçal...

4 comentários:

SentidoDaVida disse...

Eu acendo mais uma velinha. Sabes que gosto de acender velas, e adoro ver-te, não só sorrir mas também rir.

DarkViolet disse...

A vela necessita fogo para fazer o ciclo eterno do retorno. Quando o sorriso acontece, esse sinal é tarnsmitido em cadeia até ao infinito

Mª Teresa Antunes disse...

Toca acender fogueiras, vamos incendiar-te. De alegria e paz! (E de tesão também)

Carmencita disse...

ti quiero carino!