terça-feira, 7 de julho de 2009

Prevejo um motim de sentimentos. Eles irão entrar em ebulição e destruirão tudo que se lhes depare. Prevejo que os sentimentos amotinados e irados terminarão o saque de emoções quando já não restar alguma. As emoções estilhaçadas e mutiladas jazerão no solo junto com os destroços.
Esta rebelião dos sentimentos é tentada controlar pela mílicia do pensamento. Vislumbres negros são arremessados contra a multidão de sentimentos. Tamanha violência entre os sentimentos, emoções e pensamentos. Batalha campal, guerra sangrenta. Emoções saem desta batalha totalmente aniquiladas. Nenhuma resta... Genocidas de emoções, os sentimentos armados apenas com a sua enorme vontade de destruição, atacam sem piedade os pensamentos. As palavras disparadas pelos pensamentos não causam danos. Completamente imunes e indestrutíveis os sentimentos deixam um rasto enorme de sangue e de cadáveres. A seus pés jazem mutilados e estilhaçados pensamentos e emoções, muitos dos quais abraçados. Receberam o ódio dos sentimentos abraçados e assim esperaram a morte.

Vencedores desta revolta localizada, vangloriam-se. Chegaram ao poder e não estou a ver exercito com artilharia suficiente para os destituir. Se alguém conhecer...

1 comentário:

Mª Teresa Antunes disse...

O fascínio dos sentimentos! O fascínio das palavras. A junção dos dois...

Soberbo!